Quantas coisas reprimimos diariamente? Guardamos sentimentos como quem esconde um tesouro roubado, no entanto, não roubamos sentimentos, portanto, não faz sentido escondê-los de uma forma tão dura assim. Não concorda?

“Você pode se enganar e enganar muitas pessoas fazendo o papel de bonzinho, de vitima ou contar mentiras para enganar os seus familiares e melhores amigos. Você pode esconder tudo de todo mundo, mas o seu corpo sente e reage as agressões que você tem cometido contra ele.

Se você continua naquele relacionamento que não suporta mais, naquela rotina que tira a sua alegria, naquela sociedade que já se desgastou, naquele emprego que rouba o seu prazer, ou naquela amizade falsa e interesseira, o seu corpo vai sentir essas emoções e como uma bateria, vai carregar e armazenar esses sentimentos, até que um dia vai explodir como bomba atómica.

Desde crianças, somos obrigados a segurar ás emoções. Muitos pais ensinam que chorar é “sinal de fraqueza”, “masturbação é pecado”, “sexo é vergonhoso e ter prazer é coisa de pessoas pecadoras”. Desde muito pequeno, vamos sendo castrados em nossos sentimentos e emoções e quando podemos tomar nossas próprias decisões, em nome de “convenções da sociedade”, seguramos nossa raiva, a nossa indignação, não abraçamos nossos amigos, não beijamos mais por uma vergonha ridícula. A menina não abraça a menina por ter medo de ser chamada de “lesbiana”, o menino não abraça o menino com medo de ser chamado de “gay” e os homossexuais, escondem seus sentimentos com medo de serem excumungados pela igreja, família e pela “comunidade”.

Assim, vamos armazenando sentimentos que precisam sair de alguma forma, e normalmente, todas as emoções se traduzem em raiva e/ou tristeza, uma sombra que se esconde por trás de sua aparente figura. Quanto mais tempo você sofrer calado, mais BLOQUEADO vai ficar…”  É, de fato, no final das contas, o maior prejudicado é você.

O meio-termo entre a necessidade de falar e o silêncio

Sabemos que o silêncio é sábio, e é sempre melhor escolher uma linha de dialogo positiva, construtiva que alimentar o EGO com a forma dramática de ver o momento. Eu recomendo, como pessoa que vivo o que sinto, ter um AMIGO PAR, alguém escolhido pelo seu amor e pela sua sabedoria, pela sua forma positiva de estar na vida, pelo exemplo que nos oferece, e com a ajuda dele por a claro o que você está a sentir, com ele reescrever o momento, com clareza, positivismo e mais que tudo consciência e AUTO-RESPONSABILIZAÇÃO.

VOCÊ DEVE RECONHECER CLARAMENTE AS SUAS NECESSIDADES:

Existem 6 necessidades humanas que eu tenho reconhecido no meu trabalho e navida,  que estão por detrás de todos esses bloqueios ou sofrimentos.

A CERTEZA (que evito a dor e sobrevivo)

A VARIEDADE (que exercita o meu alcance físico e emocional)

A IMPORTANCIA (ser desejado ou querido)

O AMOR (que estou conectado)

O CRESCIMENTO (saio dos meus medos e limitações)

A CONTRIBUIÇÃO (quem não contribui é eliminado)

Reconhecer estes padrões, entende-los pode ajudar a saber exprimir melhor os nossos sentimentos, e por conseguinte mudar o trajecto onde nos encontramos, ninguém consegue adivinhar o pensamento dos outros, por isso se não dissermos aquilo que nos faz mal ou que nos está a faltar, as outras pessoas não o saberão.

As palavras silenciadas convertem-se em doenças psicossomáticas

Você não ficará surpreso em saber que a mente e o corpo estão intimamente relacionados e conectados. A conexão é tão grande que os especialistas advertem que quase 40% da população sofre ou sofreu em sua vida com alguma doença psicossomática.

O nervosismo, por exemplo, altera nossas digestões, causa diarreias ou a clássica dor de cabeça. Muitos herpes labiais são desencadeados por processos de auto-estima e culpa, a psoríase vem dos “maus fígados” e auto-estima . Logo, ficar calado e internalizar o que sentimos e o que pensamos gera em nosso organismo uma alta carga de ansiedade.

Pense em todos aqueles sentimentos que você esta escondendo da sua irmã, da sua mãe e pai, eles pensam que a estão a ajudar lhe dando o seu espaço para sofrer, mas apenas estão fertilizando o terreno onde você vai semear sua psicossomatização, porque vocÊ não conta a verdade?

Tudo isso, no final, irá originar doenças psicossomáticas, enxaquecas, pressão alta, cansaço crónico, e condiciona-la cada vez mais a viver um vida de mentira.

Dizer em voz alta suas palavras: a chave do desabafo emocional

Não tenha medo de escutar sua própria voz, e muito menos que os outros também o façam. É algo tão necessário como respirar, como comer, dormir. A comunicação emocional é ideal para o nosso dia a dia, para estabelecer relações mais saudáveis com os demais e, logicamente, com nós mesmos. Pense que tudo tem um limite. Se não dissermos em voz alta tudo aquilo que pensamos e sentimos, não estaremos sendo verdadeiros, perderemos nossa auto-estima e o controle da nossa vida. Como? Então se você não tem sentimentos, então é feito de quê, de pedra? CLARO QUE NÃO, você é um ser humano, sentir dor ou prazer está sempre certo, não tem uma mais certa que outra, se você sente É PORQUE ESTÁ VIVO!

Tome consciência de que dizer o que está a pensar e a sentir é um direito seu, ninguém lhe castrar dos seus sentimentos e pensamentos.

Dizer o que você pensa não é causar danos a ninguém. Significa se defender e, por sua vez, informar aos demais de uma realidade que deveriam conhecer.

Não fique preocupado com a reacção das outras pessoas, não tenha medo. Seja HONESTO consigo e com os outros.

Lembre-se, que dizer em voz alta aquilo que sentimos e pensamos é, na verdade, o melhor modo de liberação emocional que existe. Pratique-o com sabedoria, cuide de si mesmo.

E se precisar de uma ajuda, contacte-me, levo anos a trabalhar com ferramentas de cura física e emocional, eu posso ajuda-la/o.

Kinesiologia, Psicoterapia, Estratégia de intervenção, Terapia Prãnica, massagem Quiroprática são algumas das minhas especialidades.

Por Paul Milhazes
(Quiroprático especializado em Kinesiologia)
Também formador da escola de Kinesiologia Avançada.